Seguidores

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Limite



Senta-te aqui ao meu lado,
Vou contar-te um segredo...
.
Sabes,
O mundo fala-me de ti,
Conta-me histórias amargas e doces,
Mostra-me caminhos sem saída, horizontes,
Faz-me imaginar a vida, como eu e tu um dia a pintámos...
Longe da raiva, do ciúme...
Perto da plenitude.
.
Dá-me a tua mão,
Vem comigo...
Há sonhos bons de sonhar, mas acredita...
Há sempre farpas que rasgam,
Clarões que queimam,
E dores que se arrastam...
.
Agora,
Este é o nosso segredo...
Guarda-o somente para ti!
Texto de : Rita Palma

11 comentários:

Pedro disse...

Estraodinaria a forma como demonstras tudo o que te vai no coração. Consegues fazer-me pensar na vida!
Bjo, porta bem

Ariadne* disse...

arame farapado...
vida de farpas que nos arrefecem e choram o coração...
fridas que ficam...
mas que saram... e ficamos mais fortes...
ou entao nao... deixando-nos desgastados...e mais fracos...
mas é com ajuda daqueles que mais gostamos que passamos melhor por essas fazes...
vida dificl com obstaculos que doem...mas que nos ensinam...
bjinhusss
nana1 (:

sofia disse...

Posso contar-te um segredo? :)))
Sem palavras para o teu blog. Tds as fots teem um tok especial




Vou contar-te 2 segredos =)))

obrigada pela tua amizade
Beijocas ritaaa

Ariadne* disse...

e se agora eu disser que vou ficar com uma lagrima no canto do olho...
e se agora eu disser que adorei todos os momentos contigo...
e se agora eu disser que vou sentir saudade desses momentos...
e se agora eu te disser que tens aqui uma amiga para sempre...
e que te adoro.. e não percas a quem és... bjinhus (:

PeKeNa_DoIdA disse...

Através das tuas fotos e palavras consegues-me deixar preplexa.Não sou capaz de encontrar palavras que sejam adequadas a tal beleza.
Esta foto está assim simplesmente brutal,a forma como "capturaste" o arame farpado,destorcendo a belissima paisagem que por detrás dele se encontra.Focaste que na nossa vida,podem existir "arames farpados" mas,que lá ao longe,mesmo que não estejemos a ver,existe sempre algo melhor.

Palavras para quê?Continua que eu sei que vais conseguir triunfar.


Adoro-te*********

Rita Palma disse...

Senta-te aqui ao meu lado,
Vou contar-te um segredo...

Sabes,

O mundo fala-me de ti,
Conta-me histórias amargas e doces,
Mostra-me caminhos sem saída, horizontes,
Faz-me imaginar a vida, como eu e tu um dia a pintámos...
Longe da raiva, do ciúme...
Perto da plenitude.

Dá-me a tua mão,
Vem comigo...
Há sonhos bons de sonhar, mas acredita...
Há sempre farpas que rasgam,
Clarões que queimam,
E dores que se arrastam...

Agora,
Este e o nosso segredo...
Guarda-o somente para ti!

Rita Palma

Nádia Martins disse...

Ás vezes é assim...damos de caras com o "limite"..por vezes pq sao etapas que temos de passar/ultrapassar..por vezes até são dificeis pq são como arame farpado... é dificil "cortares" esse limite, sem q deixe as suas "farpas"..as suas marcas..
Mas sabes? Devemos lutar, ser persistentes e não desistir..mas só ultrapassamos esse "limite" quando menos esperamos..

Talvez devessemos olhar mais a nossa volta...PAra Lá do limite que o arame farpado nos parece impor. Porque na verdade...somos nós que impomos esse limite a nós mesmos...e por isso, que nao conseguimos ultrapassar as situaçoes, de uma forma menos dolorosa ;)

A questão não está no muito ou pouco tempo q o sofrimento dura.. está em que nos temos de delimitar esse mesmo tempo..precisamos do nosso próprio tempo..e esse...nunca é pouco ou muito....é simplesmente....o suficiente..para darmos valor ao que demos..e caminharmos para sermos felizes =)

Beijinho grande, para uma pessoa que respeito muito.. ;)

Nádia

Anónimo disse...

O tempo corre e…
Eu sonho…
O sonho que dorme no meu travesseiro de todas as noites é só um… “Sonhar”.

Por vezes visto-me de Inverno e ponho os olhos a chover, grito ao vento por ti porque os teus não posso ver!
Se não te vejo, os meus olhos procuram o infinito enquanto a alma…
A alma! Essa vagueia por entre folhas em branco, que, com o passar das horas as pinto de sonhos e desejos.
Por entre passos e já exausto jogo as “pinturas” ao vento, meu único companheiro, incansável e conselheiro.
Ao longe já se avistam as mesmas, envolvidas por sopros enquanto espelham palavras no horizonte e, ao mesmo tempo, resvalam como lágrimas habitando à beira céu esperando um olhar teu!

O tempo corre… e não te vejo…
Olho a estrada repleta de nada, quer de um lado, quer do outro… e só o vento a acompanha na solidão das horas insanas.
A “cerca” que delimita e nos restringe a este caminho, quase que chama por mim e oferece um aconchego na viagem. Encosto-me e fecho os olhos. O sol morno abraça-me aflorando sorrisos nas sombras imaginárias do meu pensamento.
Enquanto este abraço dura, os meus passos vagueiam pela estrada na tua direcção como se tivesses ali à minha frente…

Afinal as palavras em velhas folhas, foram ditas às custas da emoção e, só os sonhos procuram o que apenas sobrou…

Aquela bjoka
Amo-te Muito pikena

Ass: Nuno Soeiro

Ryh disse...

TEXTO PERFEITO!

Adorei.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Rita, bela fotografia...Belo texto...Espectacular....
Beijos

MQN fotografias disse...

Me gusta esta foto,pero el resto de tu blog es interesante.