Seguidores

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Voltamos a focar-nos em nós,
No centro de tudo...
Perdidos no que gostamos,
Encontramos novamente o brilho de tudo!
.
Olhamos de outra forma,
Para o que é tão simples,
O fumo, a cor, o calor, a expressão...
.
Vou juntando pedaços e começando outra vez,
A sentir tudo...
.
Voltamos a fotografar



quarta-feira, 25 de março de 2015

quinta-feira, 9 de outubro de 2014


The best tribute of " Queen"...
Take a look:
https://www.facebook.com/kindofmagic.queentribute?fref=ts
Fecho os olhos e vou para longe,
Viajo no tempo,
Deixo que o vento me leve o cabelo,
E que o frio me arrepie a pele,
E canto!
Canto...
.
 Texto de : Rita Palma
É como se sentem os que vos seguem,
Muito obrigado por nos trazerem tão boa música, "Kind of Magic - Tributo a Queen"!
Olhares inquietantes,
De um público com sede de...
Ouvir
Ver
Sentir
Kind of Magic - Tributo a Queen
Corroios 2014

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Aquele sabor de Verão,
Com que a natureza nos brinda,
Numa mesa saudável como esta!
Texto de : Rita Palma

quinta-feira, 28 de agosto de 2014


            Segue em frente,
            Luta contra a corrente...
            Assim é o barco, assim és tu...
 
        Tu, que levas a vida na tua viagem...

        Cordoada a ti aqueles que te amam,
        Aqueles que te ajudam a empurrar o barco,
        Aqueles que te ensinaram a pescar,
        Aqueles que te manteem firme,
        Aqueles que desejam que o barco nunca perca as cordas de si...
        Cordoadas são essas cordas a ti...
                                           Texto de : Rita Palma

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Andei no rasto do sol,
Arrisquei cair...

Vou como se não houvesse mais nada a fazer,
Se não deixar-me ir...

  
                                                                                                                    Texto de: Rita Palma
                                                                                                      
Quantas vezes fechámos os olhos,
Quantas vezes imaginámos como seria...


O seu sorriso,
O seu olhar,
A sua pele,
O seu toque,
O seu cheiro...


Até que ele chegou,
                                                                                                                                     
                                                                                                                   Texto de: Rita Palma

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Capa de aço,
.
O teu grande e perfeito segredo
!
.
.És o meu orgulho, Em
Hoje caminho de pés descalços,
Sinto a terra, respiro a terra, e trago comigo...
Liberdade...
.
Piso chão e sinto vida debaixo de mim...
O caminho é longo e insinuoso,
Mas... estamos de pé e ...
Vamos procurando aquilo que nos move aqui...
.
" Vive a vida e tira proveito até ao fm da corrida!"


Não tornes a tua vida insípida.

Texto de : Rita Palma

terça-feira, 23 de julho de 2013


 
Levanto o meu corpo cansado,
E equilibradamente desequilibrada vou caminhando,
Enfrentado a vida de pé.
.
Levanta a cabeça e segue em frente!

Texto de Rita Palma


Açores 2013

terça-feira, 11 de junho de 2013

Fim de Tarde,
E eu no teu antigo baloiço,
Vou com medo balançando,
Meia vida entre o sonho e a verdade!
.
Pedes-me um tempo,
Para balanço de vida,
E é assim que me sinto a oscilar,
Passando à outra margem de mim!
.
Balanço no teu baloiço,
Agora sem ter receio de falhar e de tocar o chão,
Sentindo o vento bater-me no cabelo ainda quente...
.
Balanço no teu balançar,
Porque é o teu balanço que me faz equilibrar.

Texto de: Rita Palma


terça-feira, 5 de março de 2013

Ao largo,
As amendoeiras em flor pintam a paisagem...
O sol de Primavera aquece as flores já cansadas do frio,
E, numa acústica de zumbidos vão brotando...
.
A abelha sôfrega,
Pousa levemente em busca de alimento,
Polinizando flores de cores monótonas e pardacentas...

Texto de: Rita Palma






quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Erinaceus europaeus,
Um roedor arborícola, notívago e herbívoro,
Ouriço Cacheiro!

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Tenho a alma transparente… e demonstro-o aqui neste jardim por onde passeio.
Passeio para matar saudades, não só do jardim mas de uma flor em especial.
Enquanto passeava, reparei em flores que nunca tinha visto antes e, em seu redor muitos rebentos, rebentos de inveja… e para espanto meu, à medida que caminhava mais quantidade encontrava como que em forma de aditivo se tratasse para melhor florescerem. 
Não as ignorava, mas sentia uma tremenda desilusão ao vê-las, e pensava… “como pode alguém plantar isto aqui neste jardim…”Vou continuar a plantar a saudade e o amor enquanto elimino as ervas daninhas do ciúme e da inveja.

.

<<… Ainda há quem martirize o dom, por não o ter… e o amor por o desconhecer...>>
Nuno Soeiro

domingo, 23 de setembro de 2012

Volta para o meu aconchego,
 Nutre-te apenas de mim!
.
Lava-me a cara com o teu sorriso,
Refresca-me com o teu toque.
.
Somente tu consegues devolver-me  o que preciso!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Pena,
Lembra-me voo, ultrapassar limites,
De liberdade espiritual e emocional.
Lembra-me talvez da ave a que pertencia,
À energia vinculada àquele ser vivo!
.
Mais que a história que carrega,
Pena é simbolismo de poder para os primitivos,
Magicamente coroada nos Reis índios,
Sagrada na era Egípcia, Asiática e Céltica.
.
A Pena outrora mostrou o caminho e guiou
Gentes perdidas em encruzilhadas na Idade Média,
Que após soprada, caía, orientado como uma bússola.
.
A Pena embebe e transporta orações de Deuses,
Em várias culturas confere também poderes de batalha.
Simboliza cura, fantasia...
.
Surge em lugares inesperados,
Daí a sorte de quem a encontra.
.
 Texto de: Rita Palma

domingo, 16 de setembro de 2012

Levemente pousei em ti,
Repouso agora no teu aconchego,
E adormeço...
Até que o vento regresse,
E me torne a levar.

Texto de: Rita Palma

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

O mar recua,
Deixando à vista de todos,
O que de mais precioso tem dentro de si.
.
Assim é o mar...
Assim nem sempre somos nós...
.
Há quem nunca recue,
Quem nunca se deixe ver,
Quem nunca mostre o que de melhor tem dentro de si.
.
                                                                                                                                   Texto de: Rita Palma

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Levemente pousei em ti,
Repouso agora no teu aconchego,
E adormeço...
Até que o vento regresse,
E me torne a levar.

Texto de: Rita Palma

É verde a sua tez,
Cristalinos os teus olhos,
Marejam lágrimas que a noite deixou,
Para dar lugar a um novo dia.
.
Assim são as gotas de orvalho!

Texto de: Rita Palma

sábado, 30 de junho de 2012

Seara lavada ao vento,
Dourada ao sol,
Esperando o momento...
.
Sozinha vai cantando ondulamente,
Enchendo o silêncio de música quente!
.
É isto que eu oiço quando não oiço mais nada,
Perdendo o olhar na brilhante seara.
.
                                                                                                                                   Texto de: Rita Palma

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Ao teu lado,
Deitei-me no chão ainda quente,
Vi o dia se esconder e permaneci de mão dada contigo!
.
Passaram estrelas,
Pedimos desejos...
Beijámos-nos...
Desejámos parar o tempo,
Para continuar a amar...
.
Para a pessoa que amo!
                                                                                                                                 Texto de: Rita Palma

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Deitei-me junto do chão quente,
Senti o cheiro do campo,
Ouvi apenas silêncio...
Fechei os olhos e deixei-me estar...
.
Alentejo.
                                                                                                                                   Texto de: Rita Palma

domingo, 17 de junho de 2012

Eles sentem e choram como nós!
.
                                                                                                          Aos nossos melhores amigos...

Texto de: Rita Palma

terça-feira, 12 de junho de 2012

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Já fui forte,
Fiquei lá em cima contigo,
Nem o vento nem a chuva me derrubavam...
.
Envelheci,
Acabei por cair num chão sem colo,
Pisada por crianças que brincam na tua sombra.
.
Vida caducifólia!
Texto de: Rita Palma